Prevenção de doenças no condomínio: como eliminar o Aedes Aegypti

De uns anos pra cá, além de todas as responsabilidades que um síndico acumula, surgiu mais uma missão trabalhosa, que exige muita atenção e colaboração dos moradores e funcionários dos condomínios. Afinal, trata-se de uma ameaça à saúde. Estamos falando do já famoso Aedes Aegypti, o mosquito da dengue.

Para prevenir doenças no condomínio, é preciso combater a proliferação e eliminar o Aedes Aegypti, aquele pernilongo rajado que, além da dengue, ainda transmite o zika vírus e a febre chikungunya.

Todas estas doenças apresentam sintomas parecidos e são muito perigosas.

Prevenção de doenças no condomínio

Os moradores de apartamentos ou mesmo de casas em condomínios fechados devem se responsabilizar por suas unidades, cuidando para que não haja acúmulo de água em lugares como vasos, plantas, brinquedos, entre outros. São nesses locais que o Aedes Aegypti deposita seus ovos.

E não é só em água suja como se pensava anteriormente. Em água limpa também.

O síndico é o principal responsável para combater o mosquito da dengue nas áreas comuns dos condomínios.

Os lugares que podem acumular água, como a piscina, os jardins e as caixas d’água têm que estar sempre muito bem tampadas. O cuidado deve ser estendido às garagens, espaços para recreação, banheiros, salões de festas, cisternas, coberturas, etc.

Com tantos locais propícios ao desenvolvimento de larvas do Aedes Aegypti, a atenção tem que ser constante, até diária se possível.

Uma vistoria periódica deve ser feita para a verificação de ralos, pratos sob vasos e qualquer outro item que sirva de depósito de água.

Outros espaços que devem ser vistoriados periodicamente pelo síndico ou zelador são os fossos dos elevadores e as sacadas dos andares. Porque são locais que fatalmente recebem mais água e, portanto, também necessitam de acompanhamento rigoroso.

Fique de olho nos focos do mosquito da dengue

Em cidades turísticas do litoral ou interior, o risco de doenças é ainda maior, pois há muito mais imóveis fechados, principalmente na baixa temporada, expondo os condomínios à dengue.
O ideal é que, além de todos os cuidados acima, o síndico mantenha contato permanente com a Prefeitura da sua cidade para que sejam ativados os programas de prevenção e defesa em possíveis focos do mosquito da dengue.

Porteiros e zeladores também devem estar cientes das visitas de fiscais da vigilância sanitária que, se devidamente identificados, devem ter sua entrada autorizada.

Redobre atenção a apartamentos fechados, canteiros de obras de futuros prédios vizinhos, terrenos vazios, buracos e objetos abandonados.

Piscina requer cuidado especial

A piscina, como um grande depósito de água, demanda atenção e cuidados especiais na batalha contra o aedes aegypti.

Acompanhe!

- As piscinas em uso devem ser tratadas com cloro, no mínimo, semanalmente;
- Piscinas sem uso devem ser cobertas para que água, folhas e sujeiras não se acumulem;
- Ralos externos e canaletas de drenagem devem ser mantidos limpos;
- Pedaços das paredes da piscina que ficam acima do nível da água devem ser limpos periodicamente porque é ali que o mosquito da dengue pode depositar seus ovos. As larvas nascem e podem ficar de 5 a 7 dias crescendo, respirando e se alimentando dos resíduos orgânicos da piscina.

Mais dicas sobre como eliminar o Aedes Aegypti

- Sobras de obras e entulhos devem ser cobertos e enviados ao seu destino final o mais rápido possível;
- Caixas de descarga sem tampa e sem uso diário devem ser tampadas com filme plástico;
- Mantenha as calhas sempre limpas e sem empecilhos para escoamento da água;
- Lajes e marquises devem ser mantidas com escoamento sempre livre e sem depressões que permitam acúmulo de água;
- Tampe os ralos de esgoto internos com tampas abre-e-fecha ou tela de nylon de 1mm. Coloque também duas colheres de sal, semanalmente;
- Não use pneus para amortecimento de paralamas na garagem. Existem amortecedores de impactos próprios para esse fim.

Como vimos, todo cuidado é pouco.

A incidência da dengue tem aumentado a cada ano, muitas vezes por descuido dos que convivem em condomínios. E ela pode até matar.


Atenção

Na Área do Condômino você deve utilizar o mesmo e-mail cadastrado no sistema. Em caso de Dúvidas ligue para: (69) 4141-4484